Publicado em 09, set às 18:58
Dylan O’Brien apresenta “O Assassino” para veteranos de guerra

Em agosto, Dylan O’Brien esteve no Texas promovendo seu novo filme O Assassino: O Primeiro Alvo (American Assassin no original) e participou de uma exibição especial da adaptação cinematográfica do livro de sucesso de Vince Flynn.

O evento aconteceu em Fort Hood e Todd Pruden, do site Fort Hood Sentinel conversou com Dylan sobre detalhes da concepção do filme e do quão importante era para o ator estar apresentando um projeto que significa tanto para ele para veteranos de guerra, seus familiares e fãs em geral.

Dylan O’Brien, atual ídolo e ator teen conhecido por seu papel na franquia Maze Runner, realizou um meet and greet e uma sessão de perguntas e respostas no dia 16 de agosto, no Teatro Palmer, durante a pré-estreia, no posto militar Fort Hood, de seu próximo filme, American Assassin.

O filme, baseado no romance homônimo de Vince Flynn, publicado em 2010, acompanha a história de Mitch Rapp, recruta de operações secretas da CIA, quem, junto de seu parceiro Stan Hurley, investiga ataques contra alvos militares e civis, que eventualmente os leva a tentar parar um terrorista, Ghost, que está tentando começar uma guerra mundial.

O filme será lançado em 15 de setembro nos cinemas, mas Dylan estava contente de trazê-lo ao Forte Hood.

“Eu agarrei a chance de vir. É uma honra estar aqui… fiquei surpreso em ser recebido em um lugar assim”, disse O’Brien. “Eu quase me sinto indigno em fazer isto. Não foi nada além de uma honra estar aqui”.

Durante a sessão de perguntas e respostas, Dylan falou sobre seu papel no filme, como ele interpretou o personagem e como ele se preparou para o papel no filme.

“Pra mim, foi muito importante tentar fazer o mais autêntico possível, e o mais realista e real que poderia ser então realmente foquei nessas coisas”, ele disse. “Foi bem difícil e trabalhei bastante nisso”.

O Primeiro Sargento Barrett Pickett, sargento do pelotão da 350ª Companhia Postal, Exército Reserva, compareceu ao evento e disse que gostou de assistir ao filme e agradeceu a presença de Dylan O’Brien na pré-estreia no Fort Hood.

“Pensei que seria legal sair e assistir a um filme de graça”, ele disse. “Eu estou bem agradecido que ele realmente tenha vindo e feito um filme do tipo militar. Eu agradeço que ele tenha disponibilizado um tempo de seu horário apertado para vir aqui”.

No final da sessão de perguntas e respostas, O’Brien agradeceu os Soldados e Membros da Família e compartilhou seus pensamentos sobre a comunidade militar.

“É incrível as coisas que vocês enfrentam nas vidas que vivem. É muito importante. É muito importante para o país”, disse Dylan. “Me aproximei de muitas pessoas que conheci neste filme. Vivenciamos as mesmas coisas e… se posso vir por apenas algumas horas e ser um convidado… é uma honra. É um prazer apenas estar aqui e muito obrigado por me receberem”.

O Assassino: O Primeiro Alvo estreia nos cinemas brasileiros em 21 de setembro.

Publicado em 09, set às 7:17
“Em alguns momentos eu estava sobrecarregado”, diz Dylan O’Brien em nova entrevista

Dylan O’Brien estrela o filme American Assassin (O Assassino: O Primeiro Alvo no Brasil), da CBS. Dylan interpreta Mitch Rapp, um jovem recrutado para trabalhar com operações secretas após o assassinato de sua noiva pelas mãos de um ataque terrorista. O personagem de Dylan é treinado no filme por Stan Hurley, interpretado por Michael Keaton, para se tornar um guerreiro irrevogável e para prevenir as mortes de incontáveis inocentes.

Dylan falou recentemente com Matt Weiss, representante local da CBS, para discutir sua preparação para o filme, seu trabalho com Michael Keaton e a legitimidade de sua barba:

Ei, Dylan. Como está?

Eu estou bem, bem mesmo. E você?

Estou ótimo! American Assassin estreia dia 15 de setembro e você interpreta o personagem principal, recruta de operações secretas, Mitch Rapp. Então começaremos com a pergunta mais importante. Notei que em algumas cenas do trailer você esta com uma barba bem fechada. Foi uma criação do departamento de figurino ou era tudo natural?

Era minha! Algumas cenas tivemos que recriar, pois quando se filma fora de ordem, outras cenas vão aparecendo e temos que recriar. Mas era com minha barba que apareci em Londres para o filme.

Muito bem, bom trabalho com ela.

Obrigado! (rindo)

Mudando o assunto sobre pelos faciais, você estava se recuperando de uns ferimentos bem sérios durante a filmagem, incluindo uma concussão e uma fratura facial. Como que foi assumir este papel tão exigente fisicamente enquanto você ainda se recuperava de tudo aquilo?

Foi a coisa mais difícil que fiz. Para ser honesto, foi um momento muito difícil. Foi bem desafiador e pareceu que foi bem rápido. Definitivamente, em alguns momentos eu estava sobrecarregado e eu meio que estava muito consumido pela minha vida pessoal e sabia que era responsável pelo papel. E eu queria ser o melhor que pudesse pelo papel, queria estar na melhor forma e queria ter o máximo de tempo possível. Houve momentos nos quais eu estava absolutamente sobrecarregado mas foi algo que acabou sendo muito bom pra mim. Estou muito feliz por ter conseguir passar por tudo porque foi instrumental na recuperação. Foi o maior desafio da minha vida, mas sempre será algo muito especial para mim.

Você mencionou que queria preparar suas habilidades da melhor maneira. Como foi o treinamento para este papel? Era tipo duas vezes por dia na academia? Muito treinamento de combate?

Sim, eram duas vezes por dia na academia, muito peso de manhã e treinamentos de luta à tarde, jiu-jítsu duas vezes por semana. Pra falar a verdade, o meu treinador, Roger Yuan, era bem mais que apenas um treinador para mim. Ele era tão ótimo em me ensinar tudo, não apenas me mostrar como dar um soco; era realmente sobre ensinar sobre os etilos de luta, movimento, respiração. Ele não é o tipo de treinador cheio de músculos que vive socando tudo. O foco era flexibilidade, movimento e velocidade, realmente entender os três tipos diferentes de artes marciais que ele estava me ensinando. Esta foi a maior parte, obviamente tivemos algumas limitações no começo porque tinham se passado apenas quatro, quatro meses e meio da cirurgia. Conforme progredimos, eu fui sendo capaz de acelerar mais e mais. Recebi um aval do meu médico e por oito semanas nos víamos duas vezes ao dia e ele ficou comigo basicamente o filme inteiro. Praticávamos no set, eu tinha uns pesinhos no meu trailer. Foi hilário, foi a primeira vez que passei por algo assim então foi engraçado.

Por ser a primeira vez que passou por este tipo de treinamento para um projeto, o que te motivou a querer este papel? Ou foi por outros aspectos do personagem?

Muito mais pelos aspectos do personagem no sentido de ‘quem é esse cara’. Quando li o roteiro pela primeira vez, senti que a história estava realmente lá. Era um grande papel pra mim, pra ser honesto. Eu senti que tinha força e parecia impactante e emocional, era algo que eu conseguia acreditar. Senti que tinha muito potencial pra ser uma boa decisão comercial, mas também, primeiro e acima de tudo, é algo que me fazia sentir realizado. Então, pra mim, fui atraído pelo arco do personagem. Senti que era realista.

O filme é baseado no livro “American Assassin” de Vince Flynn. Te ajudou ter aquele material fonte para conseguir entrar no papel ou foi mais importante para você fazer este personagem como seu?

Mais o último. Eu sabia dos livros e quantos havia e que esse cara (Mitch Rapp) seria muito da imagem que as pessoas têm na cabeça delas. Pra mim era importante ser o mais original possível, mas vir de mim e construí-lo do nada da minha maneira, da melhor que consegui.

Muito legal. Então… você é um jovem, você tinha 25 anos quando o filme foi filmado e agora você tem 26. Como foi pra você ser capaz de trabalhar ao lado de atores experientes e muito bem respeitados feio Michael Keaton?

Foi incrível, cara. Foi um sonho. Ele é um cara que cresci assistindo e era fã quando eu era criança. Quando comecei a atuar, eu continuei fã e o respeito só aumentava. Foi uma aventura, foi definitivamente uma das partes mais atraentes do projeto e é uma das coisas mais legais de se lembrar. Numa base diária, você percebe “Uau, legal. Este é o Keaton”. Mas ele é apenas um cara normal e bem realista. Ele é completamente focado quando necessário e leva o trabalho a serio, mas não se leva muito a sério. Foi bem legal ver como ele lida com as coisas. Você vê as atuações dele crescerem na tela, e, especialmente como ator, você se pergunta como ele consegue atingir este nível. Então era bem legal ver como ele lidava com tudo.

É ótimo que você conseguiu ter esta experiência com ele. De novo, American Assassin estreia em 21 de setembro. Para alguém que ainda não tenha comprado ingressos: você consegue promover o filme ao descrevê-lo em três palavras?

Ah não, é impossível (ri). Que tal “vá assistir logo”?

Viu, não foi impossível! Bom trabalho.

Ok, eu arrasei (ri)!

Obrigado pela entrevista hoje, Dylan. Incrível falar com você e boa sorte pelo seu caminho.

Ei, cara. Você também! Viva!

O Assassino: O Primeiro Alvo estreia nos cinemas brasileiros em 21 de setembro, não perca!

Publicado em 09, set às 6:49
Dylan O’Brien demonstra técnicas de luta em entrevista

Com American Assassin (O Assassino: O Primeiro Alvo no Brasil) se aproximando, Dylan O’Brien está em turnê para divulgação de seu novo filme. Durante uma – de diversas – entrevistas, o ator ensinou ao famoso site FANDOM suas técnicas de luta, pois foi necessário para entrar em estúdio. Assista:

Dylan O’Brien é mais conhecido por interpretar Stiles na série Teen Wolf. Mas como a série de sucesso irá terminar, e estreiará o terceiro filme da saga Maze Runner, ele está fazendo a transição para estrela da tela adulta. Começando com um papel como um assassino com um mega rancor em um filme de ação violento, American Assassin.

No filme, ele se prepara para perseguir o terrorista responsável pela morte de sua noiva e impressiona as autoridades com sua espionagem louca, tenacidade e habilidades de luta.

Quando ele é resgatado de uma situação que está fora de controle, a CIA o recruta para o rebanho. Ele é enviado para treinar com o veterano da Guerra Fria e instrutor de elite Stan Hurley. Os dois acabam trabalhando juntos em uma missão antiterrorista para descobrir e pôr fim a uma trama de bomba mortal.

E é nesse momento que ele coloca sua novas habilidades em jogo. FANDOM pediu a Dylan O’Brien para demonstrar seus movimentos mais mortais, usando-nos como seus adversários. Ele obedeceu.

D: Tudo bem, vamos lá. Isso é ótimo. É uma ótima entrevista.
E: Queria saber se você poderia demonstrar seus movimentos de assassino preferidos.
D: Sim! Levante, levante, vamos lá.
D: Eu vou te bater bem aqui. Isso se chama um cruzado de direita. Tipo assim. Você tem que fazer assim. Isso de chama brigas de filme. Então é muito bom. Como pareceu isso? Vira um pouquinho…
E: Por que você está sorrindo enquanto faz isso?
D: Isso é hilário. Só estou te batendo.
E: E aquele movimento que quebra o braço?
D: Podemos fazer esse. Eu vou expor seu osso desse jeito, e quando sair, vou usar para esfaquear sua garganta. Vou colocar bem assim.
E: E é isso?
D: Ele é criativo, não é? Aí está um pouco de criatividade.
E: E aquele momento que…
D: Não acredito nisso.
E: Stan está treinando você e ele faz aquele movimento da garganta, então ele te gira.
D: Com certeza. Isso é ótimo. Ok, vem cá.
E: Esfaqueando você aqui.
D: Vem para cima de mim com uma faca na sua mão direita. Vou agarrar sua mão bem assim, então bater com meu cotovelo no seu rosto, eu acho, então ele me gira assim por cima do ombro e até ali, você quer que eu gire?
E: Sim.
D: Sim? vamos lá. Isso é ótimo. É uma ótima entrevista.
E: Meu Deus, minha mão.
D: Você vai dar uma cambalhota e cair bem ali.
E: Ok, então eu fico no chão.
D: É mais ou menos como se você girasse sozinho, e ele finge que está te girando. Quando se vê é como um pequeno truque. Você aterrissa com os pés e finge “ah, cara, você me girou”, mas você se girou sozinho.
E: Brilhante.
D: Não é legal?
E: Muito legal.

O Assassino: O Primeiro Alvo estreia nos cinemas brasileiros em 21 de setembro, não perca!

Publicado em 09, set às 6:13
Dylan O’Brien conta como “American Assassin” o ajudou a voltar ao trabalho depois de um grave acidente

Estamos cada vez mais próximos de finalmente ver American Assassin (O Assassino: O Primeiro Alvo no Brasil) nos cinemas e a cada nova entrevista de Dylan O’Brien ficamos ainda mais animados em ver Mitch Rapp em ação.

Em entrevista com o site Bustle, O’Brien mais uma vez se abre sobre o grave acidente que sofreu ano passado e o quão importante American Assassin foi nessa recuperação, em conversa honesta com a jornalista Sydney Bucksbaum.

Confira abaixo a tradução da matéria feita pela equipe Dylan O’Brien Brasil:

Existe uma tendência problemática tomando forma em Hollywood. O número de acidentes nos sets e mortes durante o que deveriam cenas seguras tem aumentado nos últimos anos tanto nos sets de séries quanto de filmes (The Walking Dead, Deadpool 2, American Made, para citar alguns), e Dylan O’Brien não é um estranho nesse tipo horrível de ocorrência.

A estrela de Teen Wolf sofreu seu próprio acidente no set quando estava filmando o terceiro filme da franquia de Maze Runner, A Cura Mortal, em março de 2016. O’Brien foi jogado de um veículo em movimento e atingindo por outro carro durante as filmagens, resultando em ferimentos tão graves que a produção foi suspensa logo após ser iniciada em maio. O ator de 26 anos passou os próximos meses em recuperação, ficando fora dos holofotes e focando em se recuperar. A primeira vez que ele foi visto em público depois que notícias do seu acidente foram publicadas foi cinco meses depois, quando ele começou a treinar para American Assassin, seu primeiro projeto depois do incidente em Maze Runner.

Conversando com O’Brien durante a coletiva de imprensa de American Assassin em Los Angeles no final de julho, a estrela revelou que não tinha muita certeza de que voltar tão cedo para um filme de ação era a decisão certa. Mas ele aproveitou a oportunidade e acabou percebendo que American Assassin era exatamente o que ele precisava.

“Parte do motivo pelo qual aceitei esse papel foi porque era um desafio como ator e algo que eu não tinha feito antes, um personagem mais velho, mais como um homem, dos que eu tinha interpretado,” O’Brien diz. “Mas pessoalmente para mim, foi um jornada. Esse filme foi muito importante para eu me ajustar.”

Passar por treinamento intenso de combate para dar conta do personagem Mitch Rapp dos livros best-seller de Vince Flynn “não foi nada fácil de fazer,” segundo O’Brien, fisicamente, mentalmente e emocionalmente.

“Tudo no meu corpo estava rejeitando aquilo,” ele diz olhando para suas mãos, sua voz tremendo um pouco quando ele se lembra dos primeiros dias de sua recuperação. “Você tem medo de voltar para algo assim. Fiquei feliz que me esforcei e fiz aquilo, porque ultimamente foi a melhor coisa para mim. Sempre serei grato pelo que isso foi para mim na minha recuperação e vida pessoal. Eu estou muito orgulhoso de ter feito isso. Foi provavelmente o maior desafio.”

Antes do seu acidente, O’Brien nunca duvidou da segurança das cenas de ação que ele era pedido para fazer. E enquanto ele “deixou essa experiência para trás”, depois de sofrer e se recuperar de seus ferimentos, ele olha para as cenas de ação durante as filmagens de um jeito muito diferente agora.

“Eu me esforcei bastante para deixar isso no passado e processar e aceitar o que aconteceu e superar o que eu passei no tempo de recuperação. Mas ao mesmo tempo, não vou abordar as manobras que eu fazia do mesmo jeito. É algo que muda em você. Segurança está à frente da minha mente agora, assim como deveria ser para todo mundo em um set.”

Passar por essa experiência tem feito O’Brien um defensor de segurança nos sets, e é claro com o contínuo índice de ferimentos e mortes em sets de Hollywood durante cenas de ação que seu trabalho está longe de terminar.

“Não há motivo no que fazemos e em gravar filmes que façam com que alguém deva se ferir ou ter um acidente tão tremendo quanto esse,” O’Brien diz. “Existe uma maneira que as coisas devem ser feitas, e eu entendo essas maneiras agora. Eu nunca vou deixar me colocarem em uma posição dessas de novo, absolutamente. Eu definitivamente não vou nessa de ‘Pule. ’ ‘O quão alto? ’, sabe? Eu sou muito mais cuidadoso em relação a isso agora e sempre serei.”

Encontrando uma luz no fim do túnel de seu acidente, O’Brien conseguiu passar muito tempo da sua recuperação se preparando para a esperançosa franquia de American Assassin – tanto que ele se sentiu mais confiante aceitando esse papel do que qualquer outro que ele já fez.

“Tive mais tempo de preparação para esse filme do que qualquer outro, mas isso foi porque eu passei muito tempo me recuperando,” ele disse. “Então estava tudo na minha cabeça por um tempo. Sempre estive pulando de projeto para projeto. Nunca tive oito semanas completas para treinar como tive nesse e realmente entrar no papel e descobrir como queria que esse personagem ficasse.”

Ele descreveu como ele tinha “razões muito específicas” para dar um cabelo longo e barba bem crescida para Mitch Rapp, e entrar realmente no personagem desse jeito. “Eu tive muito tempo para ficar com esse personagem na minha cabeça e fazer minha preparação, então quando cheguei ao set, me senti como se fosse o primeiro dia, eu estava meio, ‘Cara, isso é muito bom. Estou muito feliz de finalmente estar no set, dar vida para esse personagem que fiquei tanto tempo pensando.’ Foi legal. Foi um bom período de preparação.”

*Mais uma vez ficamos sem palavras, a força do Dylan é admirável e vê-lo bem e saudável promovendo um projeto que significa tanto pra ele nos traz uma alegria sem tamanho e um orgulho tremendo.

Como o próprio ator faz questão de destacar, American Assassin e Mitch Rapp tem uma importância imensa em sua vida pessoal e profissional e por isso mal podemos esperar para apoiá-lo nos cinemas ao mesmo tempo que ficamos animados imaginando o que o futuro tem guardado pra esse menino tão determinado e talentoso.*

O Assassino: O Primeiro Alvo estreia nos cinemas brasileiros em 21 de setembro, não perca!