RESULTADOS:


O site americano BuzzFeed Entertainment fez uma matéria analisando o crescimento de Dylan O’Brien e sua trajetória: desde o seu canal no YouTube até a atuação em filmes de grande porte, como The Maze Runner. Confira a matéria completa:

O herói mais inesperado do ano

Como uma infância solitária, vídeos no YouTube e uma série de TV sobrenatural prepararam Dylan O’Brien para estrelar no grande filme de Setembro.

  Com 4.000 fãs olhando fixamente para um microfone no meio da Comic-Con de San Diego, uma jovem aproximou-se e limpou a garganta. “Ei! Eu amo você, Dylan O’Brien”, ela exclamou, já lutando contra as lagrimas. “Ah, você é tão fofa”, respondeu O’Brien, e com um único elogio, involuntariamente provocou um colapso emocional: os joelhos da menina se dobraram, todo o seu corpo tremia, e seu choro histérico não podia ser interrompido. “Você está bem?”, perguntou O’Brien, genuinamente preocupado, enquanto ela repetia: “Oh meu Deus. Oh meu Deus. Oh meu Deus”, através de uma máscara de lágrimas sem fim. Esses tipos de situações incontroláveis, reservadas apenas para as maiores estrelas do mundo, tornaram-se cada vez mais comuns na vida de O’Brien, porque, para os dois milhões de fãs que religiosamente seguem a série Teen Wolf toda semana, isso é exatamente o que ele é: um superstar. Desde o seu lançamento em junho de 2011, o drama sobrenatural da MTV tem crescido muito: fez com que O’Brien aparecesse na capa de todas as revistas para adolescentes e lhe rendeu quase dois milhões de seguidores no Twitter, bem como um fluxo interminável de contas no Tumblr dedicadas a ele. Em temporadas recentes, o seu desempenho como Stiles Stilinski, o melhor amigo do lobisomem protagonista de Tyler Posey, evoluiu para além do alívio cômico, revelando um ator muito mais complexo e capaz. Agora, O’Brien está apostando a sua popularidade na televisão e na internet em sucesso de bilheteria com o lançamento do filme de ação “The Maze Runner”, no dia 19 de Setembro*. O filme é uma adaptação de James Dashner, de 2009, que gira em torno de um misterioso labirinto e seus habitantes relutantes. 20th Century Fox, o estúdio por trás de The Maze Runner, está apostando alto em O’Brien. A pré-produção de uma sequência já iniciou-se no Novo México e O’Brien é, essencialmente, a peça central da campanha de marketing. A esperança é claramente mobilizar seus fãs para que eles saiam em massa na estreia do filme.

O’Brien recostou-se na cadeira no Cipriani, localizado dentro do hotel Beverly Hills Mr. C, um mês depois que a menina desmoronou ao vê-lo na Comic-Con, ele quase parecia inconsciente do quanto está sobre os seus ombros. “Eu nunca pensei sobre o tamanho do filme”, o jovem de 23 anos disse ao BuzzFeed News, com um encolher de ombros.

“Voltando a um ano atrás, a primeira pergunta que eu recebia de todos era ‘Assim que este filme explodir nas bilheterias, o que você vai fazer?’ Eu nunca me senti assim. Era um roteiro desfavorecido e um projeto despercebido, com muitos atores jovens – não temos ninguém no filme como Kate Winslet (Divergente) ou Donald Sutherland e Phillip Seymour Hoffman (Jogos Vorazes). Por isso, sempre foi sentido por nós como um projeto pequeno, mas sempre soube que poderia virar grandes coisas.”

O’Brien foi rápido em acrescentar que, ao descartar as expectativas da indústria, não se deve confundi-las com ignorância profissional. Na verdade, ele é incrivelmente exigente – quase a qualquer falha – do material ao qual ele expõe para a sua base de fãs jovens, particularmente na mídia social.

“Eu sou muito cuidadoso com as coisas que eu digo, tão consciente sobre os meus fãs e quem está me seguindo no Twitter, que eu sei que não posso tweetar sobre certas coisas, eu sei que não posso falar sobre certas coisas e eu sei que não posso dizer certas coisas”, disse ele. “Eu sinto que há poucas pessoas cujas personalidades brilham através do Twitter. O meu não poderia estar mais longe de quem eu sou. De vez em quando eu demonstro o meu senso de humor, mas é muito reservado porque a atenção sempre me fez reagir dessa forma. Isso não significa que eu não sou grato, é na verdade, porque eu realmente me importo em não deixar as pessoas para baixo”.

A necessidade de O’Brien para agradar foi amplificada pelo grande volume de fãs que ele acumulou apenas nos últimos anos. “Isso me deixa louco”, disse ele sobre nível louco de adoração que ele recebeu desde que conseguiu o papel de Stiles.

“De certa forma, eu nunca consigo entender completamente porque eu não sei se estou conectado o bastante. Mas o que me faz sentir bem sobre isso é que eu estou trazendo-lhes felicidade e que eu posso me relacionar com eles”. Ele explicou: “Eu amava tanto filmes quando criança, porque eu me mudei bastante e eu passei por um momento difícil na escola. A única coisa que me fazia olhar para a frente no final do dia era ir para casa para assistir meus programas de TV. TV e filmes que ativavam essa felicidade em mim. Então, eu entendo totalmente. Eu era aquela criança também. Às vezes, eu fico realmente tocado por isso, porque eu agora posso dar isso para as crianças, e isso é legal.”

“Eu era dolorosamente, dolorosamente tímido”, disse ele, sem um pingo de vergonha, sobre sua infância. “Houve quatro ou cinco anos em que eu não possuía amigos.” Faltando alguém de verdade para brincar, O’Brien abraçou o seu amor pela cultura pop e começou a criar curtas-metragens, a maioria dos quais ainda existem online até hoje. “Eu nunca sequer pensei em excluí-los”, disse ele com um sorriso dissimulado dos vídeos – um deles apresenta O’Brien dublando as Spice Girls – contrariando a reação instintiva que as celebridades tem sobre suas vidas online antes da fama. “Eu não os mantenho porque eles são bons. Obviamente, eu olho para aqueles vídeos e me encolho. Mas foram eles que começaram a minha carreira”. Enquanto O’Brien foi o único a criar para si mesmo, os vídeos começaram a ganhar força, tanto online como na indústria, tornando-se uma espécie de cartão de visitas para o então jovem de 18 anos de idade. “Lembro-me que tudo o que tinha na parte de trás de seu currículo eram dois links do YouTube“, Jeff Davis, produtor executivo de Teen Wolf, disse ao BuzzFeed sobre o primeiro teste de O’Brien para Stiles em 2010. “Ele era engraçado e tinha essa energia sob ele, esta elasticidade de seu corpo e seus movimentos. Ele realmente nos impressionou. Naquela noite, fui para casa e comecei a assistir seus vídeos no YouTube. Depois disso, ele era a única pessoa que eu podia ver atuando como Stiles” A narrativa sobre a carreira de O’Brien – que ele foi, essencialmente, arrancado da escuridão pela MTV – é uma daquelas em que o ator não pode palpitar. Na verdade, ele é grato pelo caminho extraordinariamente rápido para se tornar um ator trabalhador.

“Eu acho que foi a melhor maneira para que isso acontecesse para mim, porque eu estava cheio de dúvidas quando garoto”, disse O’Brien. “Eu nunca considerei essa carreira verdadeiramente possível em minha mente, o modo como começou realmente me ajudou porque me deu muita confiança de que isso é algo que eu estou destinado a fazer para o resto da minha vida”.

Para O’Brien, a série da MTV acabou sendo mais do que uma plataforma de lançamento profissional: também o matriculou em uma escola não-oficial de atores.

“As aulas são ótimas, mas eu nunca tive que fazê-las, porque eu tenho a sorte de estar trabalhando nos últimos três anos”, disse o ator, que não é formalmente treinado. “Acabei de sair da concentração e eu sinceramente não sei nem se eu poderia fazê-la de outra maneira. Eu penso que atuar deve ser tão real e humano quanto pode ser. Eu meio que sempre gostei de pensar de que primeiro eu sou um ser humano e depois, um ator”.

Este estilo de performance orgânica não só chamou a atenção dos fãs de Teen Wolf, mas também os diretores que ele fez o teste para papéis em filmes posteriores. “Dylan entrou e em 20 segundos de audição ele já era o favorito de todos que eu havia visto naquele ponto“, escreveu o escritor/diretor Jon Kasdan sobre o teste de O’Brien em 2012 para o filme “The First Time”. Enquanto cada espectador de Teen Wolf sabe do carisma que Kasdan se referencia, a pergunta persistente permanece:

Será que o talento de O’Brien será suficiente para transformar The Maze Runner em um sucesso instantâneo?

Enquanto o filme apresenta vários jovens atores, para Dylan, que interpreta Thomas, é muito mais um caminho para brilhar. “Eu precisava que Thomas viesse ao mundo como uma criança assustada e vulnerável, mas deixasse um homem“, disse o diretor Wes Ball sobre sua busca para escolher um ator que pudesse atuar Thomas de forma convincente, em ambas as extremidades desse espectro muito importante.

“Dylan é um garoto super doce que só quer trabalhar muito duro. Ele não tem medo de se expor ou parecer fraco. Ele tem confiança, o que não é fácil. Isso é o que faz dele o tipo de herói que eu amo: não um super-herói, uma pessoa normal fazendo coisas de super-herói”. Essa dualidade era facilmente perceptível para O’Brien e foi uma das muitas atrações do projeto para ele.

“A primeira coisa que notei foi que me senti realmente certo para o papel quando li o roteiro”, disse O’Brien, agitando o cabelo despenteado. “Gostei da forma como a história foi contada, eu pensei que era um conceito legal, e então eu conheci Wes, que me surpreendeu. Quando eu consegui o papel, eu percebi que tive muita sorte”.

Três características que Davis, Kasdan e Ball falaram sobre O’Brien:

Primeira: Seu entusiasmo sem fim. “Sua energia me impressiona tanto, que eu a invejo”, escreveu Kasdan. “É sem limites, jovial, exuberante, alegre e… invade aquele filme com tanta vida e energia”.

Segunda: Sua total falta de ego. “A coisa incomum sobre Dylan é que ele não é todo vaidoso ou narcisista”, acrescentou Kasdan. “Quero dizer, não por um todo. O que, para um ator, é bastante incomum. Ele é apenas um rapaz simpático e entusiasmado. Ele é rápido para rir e inclusivo de todos”.

Terceira: Seu firme compromisso com o trabalho. “Dylan é alguém que se importa profundamente sobre a arte de atuar”, disse Davis. “E, como é a maneira de artistas apaixonados, ele não se importa com a fama. É uma espécie de efeito colateral estranho para ele. Muitas pessoas vêm para Hollywood em busca de fama, e eles nunca encontrarão a qualidade em sua atuação. Depois, há outros que simplesmente experimentam a fama como um efeito colateral de seu talento. Esse é o Dylan, ele está focado no trabalho”.

Para Ball, a união da energia de O’Brien, a falta de ego, e dedicação inabalável foram as principais razões pelas quais as filmagens de “The Maze Runner” foram um sucesso tão grande. Sabendo que teria que mergulhar completamente no personagem, O’Brien se espelhou em Tom Hanks, Dustin Hoffman, Phillip Seymour Hoffman, e Matt Damon, atores que, para ele, são considerados inspirações profissionais e pessoais.

“Eu os vejo como heróis”, disse ele. “Eu era um garoto que os observava e eles interferiram completamente na forma como eu trabalho, porque eu não frequentei a escola de atuação”.

Essa apreciação se tornou uma verdadeira paixão, de acordo com seus antigos e atuais chefes, que não podem deixar de ver tons de Hollywood no trabalho e na personalidade de O’Brien.

“As pessoas sempre o comparam a grandes estrelas do cinema, como Harrison Ford ou Tom Hanks – e eu concordo”, disse Ball. Davis concordou: “Eu acho que ele é como Tom Hanks. Eu o vejo indo da comédia ao drama. Eu acho que ele pode estar mais interessado no drama agora, porque isso é algo que o desafia, e isso o assusta um pouco”. Kasdan levou esses sentimentos um passo adiante. “Um cara que é realmente engraçado e que se parece com aquilo? É o recurso mais valioso e escasso em Hollywood, porque a maioria dos filmes são sobre homens jovens e brancos. E há talvez uma dúzia de caras em todo o mercado que são as duas coisas. De qualquer idade. O melhor exemplo no momento é, obviamente, Chris Pratt, que é hilário e se parece com um homem de liderança, e você pode ver o que está acontecendo com ele. Dylan é um desses caras, por isso, o seu potencial é… praticamente ilimitado. O que seria mais surpreendente é se ele não acabar salvando o mundo de uma ameaça alienígena em algum momento nos próximos anos”. E, enquanto esses tipos de grandes oportunidades de orçamento provavelmente vêm batendo, O’Brien continua empenhado em cultivar um tipo muito particular de carreira.

“Eu sou alguém que está atraído por projetos que não são necessariamente voltadas para o sucesso”, disse ele, com uma risada. “Eu não gosto de realizar um projeto que todos os agentes estão tentando te fazer assinar. Eu gosto de fazer coisas que saiam do nada. Eu acho que isso é legal e especial e que eu quero fazer em termos de minha carreira”. Mas, no final, o garoto tímido que suportou anos sem amigos, pode vencer com sua aversão profunda à atenção – o tipo que particularmente vem liderando franquias enormes no cinema – poderia abastecer a sua escolha para estrelar em projetos menores e mais pessoais. “Sou muito privado e particularmente não gosto de ser o centro das atenções”, disse ele, ironicamente, enquanto uma multidão de publicitários nos cercavam, sinalizando o fim da entrevista. “Todo mundo que eu encontro me pergunta: “Você? Tímido? Pare de me zombar”. Mas eu acho que as pessoas podem trabalhar de forma que contradiz como eles são como uma pessoa. Este é o meu trabalho, é isso que eu faço, e eu sou muito grato. Eu amo fazer isso e me sinto bem. Eu ainda sou, por natureza, uma pessoa muito tímida”.

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 09.09

Como viemos informando pela nossa página no facebook e no twitter, o elenco de The Maze Runner está fazendo uma turnê de divulgação do filme e hoje foi a vez de Chicago receber o cast. Veja algumas fotos da passagem deles pela cidade:

Bwt2q12IMAAHt5K

 

YDZpnbUT77o (1)

 

BwtP-L3CEAAcJlL

 

Bwtj8n2CEAEOko2

 

A divulgação contou com a exibição do filme, Q&A (Perguntas e Respostas) com o elenco e várias entrevistas para programas de TV e sites. Assista a uma das entrevistas a seguir:

A turnê já passou por Londres, Los Angeles, Miami, Atlanta, Filadélfia, Toronto e Chicago. A última cidade a receber os eventos será Dallas, no Texas.

The Maze Runner  tem estreia marcada no Brasil para o dia 18 de setembro.

 

Créditos de vídeo: The Maze Runner Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 04.09

Em quatro temporadas, Teen Wolf se transformou de um prazer escondido para um passeio de emoção sangrenta, com a participação de Tyler Posey e Dylan O’Brien. Fora das telas, os atores de respectivamente 22 e 23 anos são amigos da vida real que mostram um relacionamento fácil, apesar de algumas diferenças filosóficas sobre sobre coisas como esportes e tatuagens.

O EW visitou o set da série em Los Angeles criou recentemente para saber mais do mais sexy, mais assustador e mais louco seriado da MTV. Confira a entrevista estendida abaixo:

Este ano, vocês estrearam a temporada enquanto ainda estavam a filmando. Vocês conseguiram dar uma pausa para assistir a estreia e depois voltar ao trabalho?
Tyler Posey: Isso me pegou completamente desprevenido. Nós nunca tivemos um início de temporada enquanto ainda estávamos filmando. É difícil se concentrar em duas coisas, mas é emocionante. No dia seguinte eu sempre acordo com uma mensagem do Dylan tipo “O episódio foi ótimo, você arrasou.”
Dylan O’Brien: Eu assisti a estreia tipo 3:30 da manhã.

Você prefere assistir assim?
O’Brien: Às vezes é assim que tem que ser. Costumávamos fazer festas enquanto assistíamos o tempo todo. Não estamos acostumados em ter a série sendo transmitida enquanto ainda estamos filmando, mas eu estava feliz por ir para casa e assistir o episódio. Eu tinha adrenalina.

Com a quarta temporada chegando ao fim vocês já pararam pra pensar no tanto que Teen Wolf mudou desde o primeiro ano?
Posey: O tempo todo. Assim, grande parte dessa série é sobre Dylan e eu e nosso relacionamento, e a única coisa que me surpreende é quão jovem eu sentia quando começamos a sair.
O’Brien: E a um ponto de transição em nossas vidas também.Tínhamos 18 anos e só se passaram quatro anos, mas eu sinto que para nós isso é muito mais do quatro anos do que para qualquer outra pessoa.
Posey: Passamos por algumas coisas bem legais uns com os outros.

Vocês se lembram do teste de filmagens?
Posey: Foi aí que nós primeiramente nos demos bem.
O’Brien: Eu nunca vou esquecer isso.

Qual foi a primeira impressão que tiveram um do outro?
O’Brien: [risos]
Posey: Você primeiro.
O’Brien: Bem, a primeira coisa que me lembro sobre Tyler… Ele entrou e perguntou imediatamente onde era o banheiro. E eu me lembro de pensar: “Uau, ele é muito confortável. Isso é tão legal.”E então começamos a conversar, porque o teste foi um desastre. Demorou sete horas e meia.
Posey: Levou um longo tempo.
O’Brien: Teve uma hora que eles até nós deixaram sair para comer porque ainda estavam ajeitando e arrumando algumas coisas.

Eram só vocês dois durante todas as sete horas?
Posey: Nós não tínhamos feito nenhuma audição juntos.
O’Brien: Nós nem fomos pra sala juntos. Eu entrei na sala sozinho.
Posey: Isso é porque eles sabiam. Eles sabiam que esse cara aqui era o certo.

Tyler, qual foi a sua primeira impressão de Dylan?
Posey: Até aquele ponto eu tinha atuado por tipo 12 anos e não gostava de ir a audições porque achava que os outros eram chatos. Quando eu vi o Dylan, ele tinha uma camisa da DVS (uma empresa de skate) e eu cresci andando de skate. Imediatamente pensei: “Ok, esse cara parece legal“. E então, eu não me lembro como começamos a conversar…
O’Brien: Nós conversamos sobre nossas bandas.
Posey: É mesmo! Nós dois estávamos em bandas.

Quais eram os nomes das bandas?
Posey: Lost in Costco. E elas eram bem parecidas.
O’Brien: A minha era Slow Kids at Play, e nós tinhamos elementos de pop-punk, mas mais do praiano, uma vibe meio reggae.
Posey: E vocês tinham um som muito bom. Eu estava ouvindo um pouco de Slow Kids um dia desses.

Vocês ainda queriam estar fazendo música?
O’Brien: Claro. Foi um dos dias mais deprimentes quando eu saí da banda, porque eu literalmente não tenho mais tempo.
Posey: Mas eu acho que nós dois estamos tão musicalmente ligados que isso sempre vai estar em nossas vidas de uma maneira ou de outra. Devíamos fazer alguma coisa.
O’Brien: Eu sinto falta de fazer shows. Anonimamente fazer shows também.
Posey: Eu acho que nós deveríamos fazer um show. Seria divertido.

Vocês dois fizeram vídeos Funny or Die e eu sinto que há uma ligação ainda inexplorada entre vocês dois. Vocês já pensaram em produzir seu próprio material depois de Teen Wolf?
Posey: Nós falamos sobre isso o tempo todo.
O’Brien: Com o show estar no ar, no entanto, nós sempre temos que ter cuidado com o conteúdo que postamos.
Posey: Nós só precisamos começar a nos filmar em conjunto. Isso seria bom. Eu acho que somos engraçados, eu gosto da gente.

Ok, então de volta para Teen Wolf: o que as pessoas devem saber sobre Teen Wolf que não sabem? Estão chamando a série de nova Buffy.
Posey: Essa é uma boa comparação, mas também tem muito mais coração. Nós estamos dando algumas situações loucas mas nós faremos nosso melhor para torná-las reais. Eu acho que um monte de pessoas pode se relacionar com a série, isso realmente se envolve com coisas mais relacionáveis. Seu namorado se transforma em um lobisomem… quantas vezes isso aconteceu comigo?
O’Brien: Muitas. Você sempre se mete nessas furadas.
Posey: [risos]
O’Brien: O seriado não é o que as pessoas esperam. Tem meio que uma surpresa de quando você ouve o nome e depois vê o que realmente é. As pessoas não dão imediatamente uma chance a série. Eles ouvem Teen Wolf e ficam tipo “Ah, aquele filme dos anos 80!“.

O que é besteira, uma vez que a série não tem basicamente nada a ver com o filme neste momento.
O’Brien: Nós sempre soubemos que há algo especial sobre em Teen Wolf. Se trata de coisas relevantes, mas também aventuras fantásticas, e isso pode ser muito assustador mas também muito engraçado, e sempre tem um emocional. Eu só acho que ninguém esperaria nada disso apenas por ouvir o nome.
Posey: Eu acho que as pessoas têm medo de gostar. Se eles realmente assistir verão como é divertido.
O’Brien: Às vezes me pergunto o que eu penso disso, se eu daria uma chance. Eu daria. É importante ter um senso de humor que faz com que seja mais fácil acreditar no mundo que está assistindo. Estamos muito conscientes do fato de que é uma série sobre uma lobisomem adolescente.

Dylan, você está feliz que você em não interpretar um lobisomem?
O’Brien: Claro. Eu amo o personagem que eu faço,eu entendo o meu papel e eu adoro isso, mas também há momentos em que, sim, eu adoraria ser um lobisomem. Porem ás vezes é muito mais impressionante quando vejo esses caras ter que colocar a maquiagem por uma hora e meia.
[Neste ponto, O’Brien acidentalmente deixa escapar um spoiler.]
Posey: Oh meu Deus. Eu não posso acreditar que você disse isso!
O’Brien: Cara, não estamos autorizados a dizer nada!
Posey: Eu as vezes prefiro não dizer nada.

Quem tem mais probabilidade de sob pressão contar um segredo?
O’Brien: Bem, claramente…

É mais provável que quem se esqueça o nome de um demônio?
O’Brien: Eu nunca consigo lembrar os nomes das coisas.
Posey: Nós gastamos muito tempo derrotando demônios, eu acho que nós os conhecemos até de costas.

Entre vocês dois, quem teve a interação mais estranha com fãs?
Posey: Tenho certeza que ele.
O’Brien: Eu não sei se posso dizer isso. É impróprio, mas é muito engraçado e aconteceu em uma sessão de autógrafos. Eles [os fãs] entregam notas, cartas, retratos, álbuns de fotos, pulseiras, todos os tipos de pequenas coisas incríveis. Dessa vez eu ganhei um envelope, e as primeiras coisas que caíram foram dois preservativos que diziam alguma coisa… gráfica sobre eles.
Posey: Nós também temos um monte de bonecas.
O’Brien: Ok, é pra essa direção que estamos indo? Isso não é uma interação estranha!

Há algo que vocês gostariam de levar quando a série acabar?
Posey: Eu quero levar a moto de Scott.
O’Brien: O Jeep.

Eu não acho que vocês podem levar isso, rapazes.
Posey: Eles [a moto e o Jeep] vão simplesmente desaparecer um dia.
O’Brien: O Jeep seria muita coisa para levar, eu acho.
Posey: Eu vou te ajudar. Nós vamos ficar sangrentos e sujos!

Tem alguma curiosidades sobre vocês online que gostariam de esclarecer?
O’Brien: Há um monte de fotos que eu sempre vejo que são apenas completamente manipulações no photoshop. Elas estão por aí há anos. Apenas eu em corpos mais sarados de diferentes pessoas.
Posey: Eu acho que eu vi uma outro dia. Uma que você está assim? [Posey se inclina com um braço para trás, todo sexy]
O’Brien: Sim!
Posey: Eu vi. E eu estava tipo, isso não é o Dylan! Ele não iria raspar isso!
O’Brien: É impossível ser eu! E, por vezes, rumores aleatórios começam e você nem sabe como. Como umas semanas atrás fãs pensaram que eu tinha raspado meu cabelo só porque uma imagem de quatro anos atrás veio à tona. E havia uma comemoração. Até subiram uma hashtag.
Posey: Eu comecei o rumor.
O’Brien: Seria tão engraçado se você estivesse por trás disso.
Posey: Estou por trás de todos esses rumores.

Dylan, você está prestes a estrear em The Maze Runner. Você está nervoso sobre o que está por vir?
O’Brien: Se você começar a falar sobre esse assunto, isso se transformará em uma sessão de terapia. Mas eu estou muito orgulhoso do filme, eu coloquei minha vida nisso e espero que eu continue colocando por mais alguns anos. Estou muito animado para que as pessoas vejam.

Vocês dois estão muito reconhecidos agora, acham que conseguem ir a uma sessão e assistir?
Posey: Cara, disfarces não funcionam mais.
O’Brien: A menos que você tenha uma máscara.
Posey: Eu já deixei crescer a barba e não funciona. Já usei chapéu e também não funciona
O’Brien: Shailene Woodley usou um chapéu para The Fault in Our Stars, certo?
Posey: Eu sinto que ela é tão reconhecível. Quero dizer, nós deveríamos assistir?
O’Brien: Nós seríamos literalmente os dois caras com chapéus e óculos escuros.

Qual é o interesse do outro que vocês simplesmente não entendem?
Posey: Dylan adora esportes. Eu quero saber mais sobre isso também, quero entender.
O’Brien: Na verdade, eu realmente não entendo como funcionam as tatuagens. Ele sempre tenta me explicar e aí eu faço uma confirmação e ele diz tipo ‘Não, não‘, e começa tudo de novo. Tipo, é uma costura?

Você faria uma tatugem de Teen Wolf, Tyler?
Posey: Eu amo Teen Wolf. A série fez coisas monstruosas para mim e para minha carreira e minha vida. Eu pensei sobre isso, mas acho que nunca teria uma tatuagem de Teen Wolf e eu não sei o motivo.
O’Brien: Você podia desenhar um S bem microscópico.
Posey: S + S = a um coração. Stiles + Scott.
O’Brien: E eles usariam… um ferro?
Posey: Sim, você tem um ferro?
O’Brien: SÉRIO?! Oh. Eu pensei que você estava confirmando que é queimando que a tatuagem é feita.

Então, eu estou aqui no set. Quais são as regras do set de Teen Wolf que eu preciso saber?
O’Brien: Fique quieto.
Posey: Definitivamente verdade. Quando eles disserem “ação“, não faça nenhuma merda. E então quando eles disserem “corta“, faça todo o barulho que quiser. E também se divirta! Toque em coisas.

Qual é a coisa favorita que a mãe de vocês pensa sobre o outro?
O’Brien: Minha mãe sempre teve a mesma opinião que eu tive sobre Tyler. Ela sempre diz coisas do tipo “Tyler é tão doce! Ele é tão engraçado“.
Posey: É a mesma coisa com a minha mãe. Ela ama Dylan porque ela sabe o quanto eu amo ele.

Awww.
O’Brien: Nós devemos começar a passar um tempo com as mães de cada um.
Posey: Quando eu era mais jovem eu saía com os pais dos meus amigos o tempo todo.
O’Brien: Você conhecia os pais dos seus amigos quando você era criança, mas agora não.
Posey: Temos um monte de anos para trabalhar nisso, amigo. Isso ainda não acabou!

Créditos: Teen Wolf Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 02.09