RESULTADOS:


O site PopSugar conversou Dylan O’Brien, confira abaixo a entrevista na íntegra:

Dylan O’Brien é um garoto sortudo. Enquanto seu personagem, Thomas, só teve um interesse amoroso em Correr Ou Morrer, do ano passado, agora ele tem dois nesta sequência. Junto com um grupo de repórteres, eu me encontrei com a estrela no set de Maze Runner: Prova de Fogo, e isso aconteceu logo no dia em que ele teve que beijar tanto Kaya Scodelario, que interpreta Teresa, quanto também a novata Rosa Salazar, que interpreta Brenda. (Eu sei, pobre garoto…) Ele habilidosamente conversou sobre beijar a Scodelario, como as cenas se comparavam à Teen Wolf, e qual era a diferença entre o set da franquia de Maze Runner para o set de Jogos Vorazes. (Não é bem como você pensa.)

Veja a entrevista abaixo:

Dia difícil beijando as garotas!

DO: Eu sei! Duas delas.

Nós conversamos com Kaya logo após, foi tão hilário.

DO: E como foi? Qual foi a reclamação dela?

Foi como beijar um irmão, aparentemente.

DO:  Essa é a pior crítica que se pode receber. Eu beijei as duas garotas!

E foi como beijar a sua irmã?

DO: Não! Porque ela não é minha irmã, mas ela é minha grande amiga. Para nós, beijar em frente as câmeras é apenas atuar, então você está distraído por elas mais do que por qualquer outra coisa – pelo menos, eu estou. Eu estou sempre me afastando de coisas como essas, tipo “Eu me pergunto como eu beijei agora”. Porque eu não faço nenhuma idéia. Apenas estou pensando no que está acontecendo.

Você pode falar sobre a importância da cena em que você beija Rosa? Vocês estavam bem focados na fala do “Você não é ela.”.

DO:
 Tudo que eu amo sobre esse enredo é que ele é tão não-romântico, e é isso que o torna tão romântico. Não há romance algum rolando. Não há ligações lá para o público torcer e eu acho que é mais forte sem simplesmente ter que jogá-la em seu rosto. Eu sempre gosto de cultivar as coisas eu mesmo como um espectador, sabe, como eu quero que as pessoas fiquem: “Oh! Eles são ótimos juntos”. No primeiro filme, o que eu amo sobre o relacionamento de Thomas e Teresa é o fato de ser uma ligação. É um conhecido em um mundo que é completamente desconhecido para essas crianças. Eles estão tipo renascendo essencialmente. Eles, um para o outro, são uma peça da memória que eles têm e isso os fazem sentir-se seguros, e eu acho isso bonito. Não é necessariamente apenas beijar-se na floresta, isso nunca aconteceu. É isso que eu amo também, é tão autêntico. Nós realmente queremos tornar isso real porque essas crianças estão em uma situação onde eles nunca ficarão apenas se beijando. Eles estão tentando sobreviver, e isso é a outra beleza da história.

E quando a Brenda aparece…

DO: Brenda entra na vida de Thomas e eles são um time e tanto. Eles são jogados juntos nessa situação e eu acho que isso une as pessoas de alguma forma. Ela é meio maldosa com ele e isso é uma dinâmica bem diferente, eu amo isso, mas mais uma vez eu sinto que é meu tipo favorito de coisas. Ela é bem atrevida com ele, e a princípio ele meio que a odeia também e eu amo isso. Eles vão para essa aventura juntos e salvam um ao outros e começam a se entender e eu acho isso bem legal. 

Como as ações e acrobacias desse filme se comparam com as acrobacias em Teen Wolf?

DO:
 O engraçado é que em Teen Wolf eles nunca vão me pegar um dublê, porque é algo pago, e eu nunca farei um salto de lobo ou algo parecido. Eles apenas irão dizer: “Caia das escadas”. E isso é até algo similar. Eu tenho um dublê, mas nunca é algo realmente extremo. É sempre algo que seria melhor se eu mesmo o fizesse, porque você quer ver a própria criança o fazendo. Não queremos aparentar como estrelas de ação, e eu penso que isso é realmente importante para o espírito do livro e da história inteira. Eu acredito nisso, então não é um problema pra mim. Eu também amo fazer tais acrobacias e cenas de ação. Eu não estou pulando de helicópteros; isso seria insano.

Por enquanto.

DO: Sim, certo. Na próxima semana, eles falarão algo como: “Ei, nós teremos você dando uma pirueta de costas pra fora de um avião.”. Mas, há muitas outras [acrobacias] aqui. Todos os dias eu estou fazendo algo parecido, Teen Wolf está aí agora e eu terei alguma coisa pra fazer. Nós nem mesmo percebemos que eu planejei por isso no dia, e então eu estarei tipo: “Oh, acho que é aqui que você cai.”

Qual é a pressão de agora você estar voltando para uma sequência?

DO: Bastante engraçado, a única adição é que agora eu recebo essa pergunta o tempo todo! O primeiro foi muito mais sob o radar, e essa é a maneira que eu sempre prefiro seja. Eu realmente acredito que o sucesso que o filme tem experimentado é todo o nosso trabalho duro colocado em todos os ângulos dele e paixão de todos por ele. Eu sempre tive muito orgulho disso e, por essa razão, ainda o sinto tão íntimo. Para ser honesto, falando francamente, não temos o orçamento de Divergente ou Jogos Vorazes. Não temos o marketing e isso não aparece na cara de todo mundo. Eu acho que a única razão pela qual chamamos a atenção de algumas pessoas foi porque é legal. Nós fizemos isso realmente especial, eu acho. Espero. Eu ainda sinto que estamos sob o radar. Até mesmo ser mencionado com esses outros filmes apenas significa que temos feito um trabalho muito bom com ele, então eu só foco nisso e fico com orgulho disso.

O que pra você – e para Thomas – foi o mais engraçado e estranho de se explorar nesse novo filme?

DO:
 Caráter sábio, apenas para descobrir este arco. O modo como eu vejo isso no primeiro filme, é Thomas se responsabilizando pela saída deles de lá. Ele pensava que essa era a resposta e acreditou tanto nisso. E agora que tem esses caras do lado de fora, eles perderam mais do que eles tinham, e tudo isso está pesando nele agora. Ele não tem certeza se essa foi a melhor escolha. Talvez isso não foi nem a melhor coisa. Ele está lutando contra isso enquanto precisa continuar acreditando em si mesmo e permanecer forte para seus amigos. Fisicamente, eles estão em um novo lugar toda semana. Isso que é tão maneiro e legal sobre o filme. Eu nunca pensei que esse fosse ser mais cansativo que o primeiro, mas ele é um tanto mais, o que é bem divertido. Mas, é legal, porque é tipo uma nova energia a cada semana. Nós começamos nas dunas de areia e elas parecem que foram a um ano atrás. É tão divertido. São, tipo, uns cinco filmes, quase, em um só.

Você se encontra com o crank que quer o seu nariz?

DO: Sim, nós tentamos colocar isso no filme! Eu sei que ele [o diretor Wes Ball] estava falando que não tinha certeza se iria funcionar. Existe um monte de coisas que nós tentamos ao menos fazer. Eu acho que isso será legal para os fãs dos livros. Isso, pelo menos, será algo muito, muito legal.

Cada membro do elenco que você trouxe foi tão bem.

DO: Sim, e Rosa encaixou-se tão bem, imediatamente. Jacob [Lofland] também, e eu apenas sinto que continuamos recebendo tanta sorte. Eu não sei o que é. Não sei se somos nós ou o quê, mas nós temos um grupo ótimo. Rosa é hilária, ela o manterá rindo o dia inteiro. Ela tem uma energia ilimitada e é uma atriz fantástica. Eu não sei como acompanhar essas pessoas talentosas com personalidades tão grandes. Eu ouvi que é algo raro, mas eu sinto como se nós fôssemos nos permanecer no ponto certo e isso é ótimo. Ela vai arrasar como Brenda. Eu não conseguia imaginar uma Brenda. Eu não sei porque eu sempre tive dificuldade para imaginar a personagem, e então para visualizá-la na vida real comigo. E assim que eu ensaiei com Rosa, foi simplesmente assim: “Uau, aqui está ela”. O cabelo e todo o resto. Eu amo isso. Eu acho isso perfeito.

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Caroline Nobue em 25.09

O site porto-riquenho De Pelicula entrevistou Dylan O’Brien durante as divulgações do filme Maze Runner: Prova de Fogo.

Confira abaixo o vídeo legendado:

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Caroline Nobue em 23.09

A atriz Katherine McNamara, que interpreta a personagem Sonya no filme Maze Runner: Prova de Fogo, citou o Dylan em uma entrevista para a MTV americana.

Confira abaixo a tradução do que Katherine comentou sobre trabalhar com Dylan O’Brien:

“Não tenho nada contra o Dylan O’Brien! Ele é uma das minhas pessoas favoritas,” McNamara disse à MTV News. “Tenho muito respeito por ele e seu trabalho. Ele é como meu irmão mais velho — nos divertimos muito no set. Ele é tão dedicado e específico e incrível no que ele faz e ainda assim, ele não deixa todas essas coisas o impedi-lo no set. Ele ainda tem o melhor tempo e sai por aí e faz piadas e se diverte mais do que qualquer um de nós. Não sei como ele faz.”

“Eu estava um pouco agitada sobre me juntar ao elenco para o segundo filme, porque eles já eram uma família, mas no primeiro momento, eles me receberam de braços abertos”, disse ela. “É a maior e mais aconchegante família que eu já experimentei.”.

“Ele é muito de abraço! Todos eles adoram abraçar! Todo o elenco.”, disse McNamara. “Nós chegávamos do set – no hotel – todas as noites e sempre sentávamos e jogávamos Mario Kart antes de irmos para a cama. Eles são mestres em Mario Kart. Eu sou aceitável.”.

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Juliane Brizola em 23.09

Dylan O’Brien, Kaya Scodelario, Thomas Sangster, Ki Hong Lee e Giancarlo Esposito concederam uma entrevista para o canal EstoEs Combo durante as divulgações do filme Maze Runner: Prova de Fogo.

Confira o que o elenco conversou com o entrevistador Alex Monthy, clicando abaixo no vídeo legendado:

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Caroline Nobue em 23.09

Em uma entrevista para o site dinamarquês Kino, Dylan O’Brien e o elenco de Maze Runner: Prova de Fogo comentaram sobre o filme e sobre as corridas que tiveram que fazer nas gravações.

Confira o vídeo legendado com Dylan, Kaya Scodelario, Thomas Sangster, Ki Hong Lee e o diretor Wes Ball:

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Caroline Nobue em 23.09

Durante as divulgações do filme Maze Runner: Prova de Fogo, Dylan O’Brien concedeu uma entrevista ao site britânico Metro.

Na conversa, Dylan comenta sobre Game Of Thrones, sotaques britânicos, e “Cheeky Nando’s”.

Dylan O’Brien pode até estrelar Maze Runner: Prova de Fogo com três estrelas de Game Of Thrones, mas isso não significa que ele assista ao show.

O ator – que retorna como Thomas na continuação dessa ficção – contou ao Metro.co.uk em uma entrevista em vídeo que ele não é um fã da série da HBO, estrelado por Aiden Gillen, Thomas Brodie-Sangster e Nathalie Emmanuel.

No entanto, Dylan é um grande fã de Aiden – que interpreta Mindinho em Game Of Thrones – ele o viu nas telinhas pela primeira vez na comédia ocidental de Jackie Chan e Owen Wilson: Bater ou Correr.

“Ele achou engraçado eu ser um fã”, a estrela de Teen Wolf explicou.

A entrevista ficou um pouco séria quando Dylan disse que britânicos são mais “presos” do que os americanos quando se trata de fazer os sotaques, mas logo tudo se iluminou quando percebemos que ele não sabia o que era “Cheeky Nando’s”.

Claramente os britânicos no set não balançaram a bandeira pelo amado fast-food português.

Assista a entrevista completa:

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Caroline Nobue em 22.09

Dylan O’Brien participou do programa americano Good Morning America, no dia 15 de setembro, em Nova York, durante as divulgações do filme Maze Runner: Prova de Fogo.

Assistam abaixo a entrevista legendada:

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Confira as fotos em alta qualidade, clicando nas miniaturas abaixo:

Publicado por Caroline Nobue em 20.09

O site da revista Latina publicou ontem (18), uma entrevista com Dylan O’Brien. Durante a conversa, Dylan comenta sobre Teen Wolf, Prova de Fogo, personagens, colegas de trabalho e inclusive qual livro gostaria de participar na adaptação em filme.

Confira abaixo a tradução completa da matéria:

Os fãs de Teen Wolf irão instantaneamente reconhecer Dylan O’Brien como o amável Stiles Stilinski, o sempre presente e leal ajudante do lobo alfa Tyler Posey.

Mas, em Maze Runner: Prova de Fogo, na sequência do cativante e cheio de ação Correr Ou Morrer, O’Brien corajosamente assume o papel de alfa. Thomas (O’Brien) emerge do labirinto apenas para encontrar um novo conjunto assustador de desafios em um deserto desolado, cheio de cranks, que são criaturas comedoras de humanos, infectadas com um vírus incurável. Enquanto atravessa o deserto em busca de um grupo marginal misterioso, ele briga com alguns zumbis e faz par romântico com duas (sim, duas!) moças latinas, interpretadas por Kaya Scodelario e Rosa Salazar.

Antes ir para os cinemas neste fim de semana, veja aqui o que o protagonista Dylan O’Brien tinha a dizer sobre as suas co-estrelas latinas de “talento extraordinário”, a corrida dos zumbis, e como Thomas se compara a Stiles:

Os filmes são bastante diferentes dos livros. O que você diria para os fãs da série de livros que irão assistir ao filme?

Você sempre espera pela aprovação deles. Você espera que eles entendam as mudanças, e você espera que eles não as deixem estragar a sua experiência. Eu entendo a espera por algo que seja exatamente como você imaginou enquanto você está apaixonado por alguma coisa. Mas, eu realmente acredito no que fizemos. Eu realmente acredito em como nós tiramos elementos do segundo e terceiro livro, e nós meio que reorganizamos, deixamos algumas coisas aqui e ali, coisas que não necessariamente funcionariam nas telas. Mas, ainda assim incluímos um monte de boas cenas do livro que eu penso que os fãs irão amar. Eu espero que eles assistam ao filme com essa mentalidade.

Como foi trabalhar com Rosa e Kaya?

Elas são incríveis. As duas são insanamente talentosas e inteligentes, super independentes, super legais, e também descontraídas, divertidas e engraçadas. São fantásticas. Kaya Scodelario costumava fazer comida brasileira para o elenco. Ela fez “noite brasileira” algumas vezes, na verdade. Era impressionante. Nós todos cozinhamos um para o outro, e todos nós fazíamos algo especial por uma noite ou algo assim. Tiveram muitas refeições clássicas incríveis do elenco.

E o que você fazia para o elenco?

Eu sempre agitava umas costeletas de frango ou algo assim. Ou, eu fazia frango à parmegiana e massas, ou coisas parecidas. Dex (Dexter Darden) grelhava e tudo mais. Todos são bons cozinheiros. Já eu, sou provavelmente o pior de todos. Mas, tudo bem. Eles podem cozinhar pra mim – este é o ponto!

Como foi gravar cenas com aqueles “Cranks”, que eram essencialmente zumbis?

Foi uma explosão. Eles eram tão legais. Eu sempre estava correndo com eles, mas isso foi só uma parte do que foi tão legal. Eu amo o fato de eles serem tão rápidos. Nós sempre tivemos dublês como cranks e eles eram atletas loucos que podiam realmente correr. Foi realmente um desafio, na verdade, sempre fugindo deles, o que era divertido.

Você estava fazendo todas as suas próprias cenas de ação e corrida?

Sim, na maioria das partes. Tenho plena certeza de que no filme inteiro.

Você faz suas cenas de ação em Teen Wolf?

Bem, em Teen Wolf eu não tenho realmente cenas de ação. E, se eu tiver, seriam o Stiles caindo no chão ou algo parecido.

Em Teen Wolf, Stiles é o ajudante. Thomas é definitivamente o alfa. Foi estranho pular para essa dinâmica de personagem?

Isso foi algo novo e bom pra mim. Foi algo grande, uma experiência diferente para mim como um ator. Ensinou-me bastante sobre um diferente plano – sendo um papel diferente, tanto no estúdio e dentro de uma história. Eu aprendi muito.

Qual foi o maior aprendizado que você tirou do filme?

Eu não sei – talvez a confiança em mim mesmo como ator. É sempre um longo processo de tentar suprimir a auto-dúvida no estúdio quando você está atuando. Porque quando você está fazendo isso todos os dias por 14-15 horas por dia, durante semanas, você começa a perder sua cabeça – Estou brincando, estou brincando!

Você já sentiu alguma pressão por ser o líder da sua própria franquia? 

Honestamente, é apenas a pressão que eu coloco em mim mesmo enquanto estou trabalhando. É como eu opero. Eu fiz a mesma coisa jogando beisebol enquanto eu crescia. Quando eu estragava uma jogada ou algo parecido, eu ficava com raiva de mim mesmo. Ficava chateado comigo mesmo. Eu quero fazer um bom trabalho e é assim que eu opero. Eu nunca realmente senti pressão em liderar uma franquia, isso só meio que acontece comigo quando estou fazendo entrevista e afins.

Alguma vez isso já lhe atingiu de forma positiva?

Não consigo ver dessa maneira, porque está tão próximo de mim. Quando você está em algo, você nunca vê dessa maneira. Você só vê isso pelo o que foi para você e o que significou para a sua vida. Isso mantém um lugar no meu coração como uma das experiências da minha carreira, mas jamais é tipo: “Ah, meu Deus, eu sou o líder da franquia, isso é tão legal”.

Existe algum outro livro que você gostaria de ser a estrela de uma adaptação em filme?

Um livro chamado The Art of Fielding. Sim, um filme de beisebol! Eu sempre pensei que ele se tornaria um lindo, atemporal e icônico filme.

Tantas pessoas foram mortas no filme anterior. Foi estranho voltar e perceber que eles não estariam mais lá?

Sim, foi triste. Continuamos vendo-os, no entanto, esse é o ponto. Por não tê-los lá trabalhando conosco, a experiência é ligeiramente alterada. Todo mundo ainda se vê e ainda marcamos para ficarmos juntos. Mesmo que um personagem morra, se você foi parte da experiência, você sempre será parte do grupo. Sempre vemos uns aos outros, não importa o que aconteça.

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

 

Publicado por Caroline Nobue em 19.09