RESULTADOS:


O site da revista americana People publicou uma matéria feita com Dylan durante a premiere de The Maze Runner em Nova York. Na entrevista, o ator falou sobre como está lidando com o status de estrela que recebeu com seu crescimento profissional. Veja:

Dylan O’Brien diz que a fama não subiu à cabeça. “Eu ainda estou com os pés no chão, então eu só faço do meu jeito“, disse o ator à People, acima dos gritos de fãs animados que o cumprimentaram fora do SVA Theatre em Nova York na segunda-feira. “Cabe a mim mantê-los com os pés no chão também“.

Admiradores gritaram por fotos e autógrafos de O’Brien fora da especial premiere de seu novo (e muito aguardado) filme de ficção científica pós-apocalíptico The Maze Runner, baseado na trilogia de James Dashner.

Estrelar em Teen Wolf, da MTV, mal preparou o jovem de 23 anos para seu status de superastro recém-descoberto. Ele diz que enquanto os fãs o tratarem com respeito, ele vai fazer o mesmo.

Eu não gosto de pessoas invadindo minha vida“, disse ele. “Se [os fãs] me tratarem como uma pessoa, então eles vão receber uma ótima reação minha“.

 

Tradução e Adaptação: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 17.09

Como postamos anteriormente aqui, aconteceu uma première em NYC. Durante o tapete vermelho, o elenco de Maze Runner concedeu entrevista para o The Hollywood Reporter!

Não faz qualquer sentido – essas crianças estão lutando por suas vidas, eles não vão parar para beijar e abraçar, e eu amo muito isso” – dispara O’Brien.

“Olha, eu não sei se ele é corajoso ou estúpido, mas seja o que for, precisamos de mais do mesmo”, diz Minho (Ki Hong Lee) de Thomas (Dylan O’Brien) em The Maze Runner, a sexta-feira. Enquanto o público potencial pode pensar que a linha pode também aplicar-se à, adaptação para o cinema para jovens adultos pós-apocalíptico em geral, o astro Dylan O’Brien esclareceu que o filme é diferente das recentes entradas do gênero, The Hunger Games e Divergente.

Não temos romance no filme, e eu adoro isso, pela primeira vez em uma dessas histórias de jovem-adulto, muito legal“, disse à The Hollywood Reporter nesta segunda-feira em Nova York SVA Theatre em uma exibição especial do 20 Century Fox Film junto a revista Teen Vogue. “Durante o que está se passando [em outros filmes], como é que há algum romance acontecendo? Não faz qualquer sentidoEssas crianças estão lutando por suas vidas, eles não vão parar para beijar e fazer carinho, e eu amo muito isso. É por isso que não é um jovem adulto, é um thriller de ação sci-fi.

Dirigido por Wes Ball, o filme segue Thomas (O’Brien), um adolescente que acorda em uma região com cerca de 50 outros meninos e rodeado por um labirinto mortal. Ele não tem nenhuma memória de seu passado e não sabe por que ele foi levado para lá. A história apresenta um elenco racialmente diversificado (em texto e na tela) de personagens masculinos arquetípicas, assim como apenas uma jovem, interpretado por Kaya Scodelario. Ela observou que ela foi atraída para o papel de Teresa, porque “Ela não amoleceu, e muitas vezes em filmes, sentimos que as mulheres têm que ser amolecidas – não podem ser ousadas. Mas não há tempo para isso. Ela fica lá, ela não se importa em fazer amigos ou ter encontros. Ela é toda musculosa. Eu gosto o modo de como eles foram corajosos o suficiente de mostrá-la assim”.

Do filme apenas outra personagem feminina é interpretada por Patricia Clarkson, que foi atraída para a franquia por insistência dos filhos adolescentes da amiga dela, mas também por causa do Wes Ball. “Ele é o bicho, ele é a coisa real,” ela disse THR. “Ele é legal, e um incrível jovem que realmente sabe o que está fazendo.”
Todos os dias, os rapazes procuram uma maneira de sair de seu mundo, executando através do labirinto, que muda a cada noite. O desafio, em um ponto, teve O’Brien e Ki Hong Lee nonstop correndo por 12 a 15 horas por dia durante três dias seguidos, com slides e manobras que levaram mais do que alguns arranhões e cicatrizes. “O que é chocante é o quão pouco há de corrida para mimquando eu olho, eu sou como, ‘Onde está toda a correria? Eu senti como eu estava correndo tanto nas filmagens!”, disse O’Brien. “Eventualmente, eu pensei, eu não posso mover minhas pernas, mas quanto mais eu estava cansado, melhor, porque isso é totalmente o que é suposto ser. Ele é um garoto, não um atleta olímpico.” Lee brincou: “Parece cansativo, e era, mas era divertido – é como se exercitar, trabalhar e ser pago ao mesmo tempo”, e Thomas Brodie-Sangster, que retrata Newt, observou que sua exaustão física também foi testado pelo calor e umidade em conjunto, em Nova Orleans.

O que ajudou, disse o elenco – incluindo Chris Sheffield, Alex Flores e Dexter Darden – foi como se deram antes das filmagens: uma festa do pijama na clareira, com o treinamento com um SEAL da Marinha em habilidades de sobrevivência, como facas, cortando madeira (e a construção de uma maca) e cozinhar alimentos sobre o fogo. Durante a produção, que atingiu o ginásio juntos, desenrolou durante jantares de grupo e dividido por brigas nos corredores do hotel. (Todos os meninos concordaram que Gatorade é a sua bebida de treino, com O’Brien nostálgico para o sabor kiwi-morango agora descontinuado ele bebia quando era criança.)

Autor James Dashner estava inicialmente apreensivo sobre ter sua série de quatro livros na grande tela, mas sentiu-se satisfeito quando ele viu seu protagonista, Thomas, entrar no labirinto, pela primeira vez. “Para vê-lo vir à vida, tão perto de minha visão foi uma emoção,” ele disse no evento, também agradavelmente surpreendido com a interpretação de Wes Ball com os Verdugos do labirinto. O ‘ Brien posou para muitas fotos com toda a sua família, e outros membros do elenco assinaram autógrafos para as multidões de fãs pacientes.

Tradução e adaptação: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Juliane Brizola em 16.09

Ontem (15), Dylan ao lado do elenco de The Maze Runner atenderam à première do filme em NYC. O evento foi organizado pela revista Teen Vogue e Twentieth Century Fox. Algumas fotos do evento foram adicionadas à galeria e podem ser vistas abaixo:

Publicado por Juliane Brizola em 16.09

O site Empire Online fez a seleção das “21 estrelas do futuro”.  Foram listados 21 atores e atrizes que, segundo eles, irão moldar o cinema de amanhã, e Dylan O’Brien entrou para a lista. Veja o que a página disse sobre o ator:

Dylan O’Brien provocou frenesi entre os fãs como o ousado Stiles de Teen Wolf, um estudante que é o melhor amigo de um lobisomem (ele até repetiu o truque como o personagem malvado de Stiles, apesar dos tons de pele que não pareceriam saudáveis em um anêmico), e ele tem Maze Runner (e suas sequências) estreando em breve, então seu assento no MTV Movie Awards deve ser reservado por mais alguns anos. Não se engane: ele é um verdadeiro talento que pode conquistar muito mais do que aquelas aparências esculpidas. Espere vê-lo muito. Especialmente se ele sair daquele labirinto.

Entre os selecionados estavam Maisie Williams (Game Of Thrones), Ansel Elgort (A Culpa é das Estrelas), Theo James (Divergente) e Jack O’Connell (Skins).

 

Tradução e Adaptação: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 15.09

Lionsgate está trazendo os ‘Power Rangers’ ao século 21 com um filme de reinicialização que está previsto para ser lançado em 2016. O filme segue o enredo original da década de 1990, que se concentra em um grupo de adolescentes do ensino médio que recebem super poderes, que os colocam como responsáveis por salvar o planeta das mais bizarras ameaças.

SchmoesKnow informou que um funcionário da Lionsgate, revelou que o estúdio de cinema já elaborou o roteiro para o filme através do escritor Max Landis.

Embora a programação final do elenco ainda não tenha sido anunciada, os atores Liam Hemsworth e Taylor Lautner estão disputando dois rangers. MTV News revelou que Chloe Moretz, que estrelou no recente filme, “If I Stay”, já aceitou o papel de Kimberly Hart, mais conhecida como a Ranger Rosa.

Outros moldes potenciais incluem Michael B. Jordan (Power Ranger Vermelho), Dylan O’Brien (Power Ranger Azul), Elle Fanning (Power Ranger Rosa), Ansel Elgort (Power Ranger Branco), Diego Boneta (Power Ranger Preto), e Hailee Steinfield (Power Ranger Amarelo). O filme “reinventado” é baseado na história escrita por Robert Orci.

O produtor Haim Saban disse que Lionsgate tem a capacidade de reviver lendas como ‘Power Rangers’, de tal forma que não se desvie da tradição, mas também reinventá-lo para a atual geração de amantes do cinema.

“Lionsgate é o lar perfeito para elevar a nossa marca ‘Power Rangers’ para o próximo nível,” Saban disse, “Eles têm a visão, a proeza do marketing e a incrível trajetória no lançamento de grandes filmes que vão de ‘Jogos Vorazes’ até ‘Crepúsculo’ e ‘Divergente’.”

Jon Feltheimer, CEO da Lionsgate, acrescentou, “Histórias e personagens dos Power Rangers têm sido abraçada por gerações de público por mais de 20 anos, e hoje eles são mais poderosos do que nunca.”

‘Power Rangers’ está previsto para chegar aos cinemas em 22 de julho de 2016.

Vídeo sobre a matéria: Power Rangers movie reboot.

Tradução e adaptação: Equipe Dylan O’Brien Brasil.

Publicado por Priscila Silvestrone em 15.09

Durante a turnê de divulgação do filme The Maze Runner, Dylan deu entrevista ao site norueguês FilmWebTV, onde falou sobre o filme, elenco e seus próximos projetos.

Para assistir, basta clicar aqui!

(0:27 – 0:29)

Dylan: “Este filme foi o melhor.

(0:30 – 0:40)

Dylan: “Essa é uma das coisas que eu estou mais orgulhoso na minha vida.

(0:30 – 0:31)

Repórter: “Este é um grande elenco, todos vocês se deram bem?”

(0:40 – 0:47)

Dylan: “Não houve nenhum caso de ‘não se dar bem’. E não é só isso – nós todos estamos completamente insanos. Havia um monte de “bromance” entre nós.”

(02:30 – 03:13)

Repórter: Dylan O’Brien acabou de me dizer que adorou trabalhar com você… Você diz o mesmo à ele?

Kaya: Que bom, ele é o melhor… Idiota! (risada) Eu amo o Dyl, Tivemos uma boa amizade com isso, então tenho certeza que somos amigos para sempre agora

Dylan: “Ah ela é horrível, me esqueci dela, ela é terrível… Não, Kaya é a melhor! (risada). Todo mundo pergunta como Kaya reagiu com todos esses caras, é uma pergunta perfeitamente legítima, porque você acha que é difícil, mas para ela, era tão simples. Ela é uma de nós, pura e simples. Ela é mais legal do que todos nós juntos.”

(03:33 – 03:44)

Repórter: Então o que vem para você agora?

Dylan: “Eu não sei, espero que os próximos dois filmes de Maze Runner, e então provavelmente vou me aposentar.” (risos)

Dylan: “Muito obrigado pela entrevista.”

Publicado por Juliane Brizola em 15.09

Você já se perguntou como seria se a vida tivesse um botão de recomeçar? O ator Dylan O’Brien já e, graças ao seu papel em The Maze Runner aos 23 anos de idade, teve a oportunidade de experimentar, mesmo que apenas na tela, O’Brien diz a S-Press tudo sobre a emoção por trás das cenas no set do mais recente sucesso de público adolescente de Hollywood.

Baseado no best-seller de James Dashner, The Maze Runner começa com o personagem de O’Brien, Thomas, chegando em um novo e estranho mundo, sem absolutamente nenhuma memória de quem ele é ou como chegou lá. Logo ele descobre que os outros garotos daquele lugar estão no mesmo barco que ele e que têm que unir forças para escapar do labirinto no qual estão presos.

 

…esses personagens vieram ao mundo como se alguém tivesse atingido o botão de recomeçar.” Diz O’Brien. “Eu sempre penso ‘o que seria isso, para ter acontecido?’. Você pode ter uma personalidade completamente diferente do que você tinha. Você pode ser quem você quiser de novo, e você pode descobrir coisas sobre você mesmo que talvez não tenha lhe permitido descobrir antes.”

 

Para Thomas, é a sua capacidade de liderança natural, coragem e força. O’Brien diz que fazer a primeira cena em que Thomas chega no elevador foi simples em certo sentido, pois era tudo sobre estar no momento.

 

No qual eu estou apenas reagindo a todos esses meninos que estão em torno de mim, me chutando e se divertindo com isso. É o pacote mensal deles.” Ele explica. “Você está totalmente em um mundo novo, então essa é a única maneira para se divertir. É só ir com eles. Mas agindo fora da cena com todos esses caras em volta de você, você está cercado por todos os seus colegas de elenco e um monte de extras e isto é um pouco intimidador “Tudo sobre ele parecia real de qualquer maneira.”

 

De acordo com O’Brien, diretor Wes Ball fez um grande trabalho de fazer o sobrenatural ganhar vida na tela.

 

Bem, para os verdugos, foi literalmente como Wes gritando: ‘Ele está atrás de você!” Ou, quando estávamos espetando-os e outras coisas, eles eram pessoas vestidos de azul, agitando os braços. Wes é um gênio e depende de onde está, mas há certas cenas naquele filme onde é tudo dele e certas coisas onde é muito real e você tem muito para sair. É uma grande combinação de ter grande projeto de produção para se viver como ator e indo também na frente de uma tela verde de vez em quando.

 

Uma parte do Filme que foi 100 por cento real, foi a incrível quantidade de correr que O’Brien tinha que fazer. O ator diz que não teve tempo suficiente antes de filmar para melhorar a sua forma física, mas isso fez as cenas mais autênticas, porque seu personagem era para ser oprimido.

 

Eu não tenho que ser uma espécie de corredor olímpico. Quando meus pais viram o filme pela primeira vez, eles eram apenas como ‘Oh meu Deus, como você está de pé? Era um borrão – Eu fiz um monte de cenas correndo“, diz.

 

The Maze Runner foi filmado em locações no estado americano de Louisiana e O’Brien diz que isso realmente adicionou toda a experiência.

 

Se tivéssemos filmado o filme em LA, eu acho que nós todos teríamos nos dado bem em fazer o filme, mas não teria tido o mesmo espírito. Há essa coisa que você tem de estar com o outro, isolado nessa experiência maluca“, diz ele.

 

O ‘ Brien diz que o elenco era realmente ligado, e não havia uma única noite que eles não estavam todos juntos, assistindo as finais do basquete e cozinhando refeições para o grupo.

 

Nós fizemos isso todas as noites até as filmagens começarem e então era apenas oito semanas de sermos uma grande família. Eu pensei ‘ Isso é tão legal“, diz O’Brien. “Todos esses caras e Kaya (Scodelario) são tão legais – não há uma palavra ruim que eu posso dizer sobre qualquer um deles … É tão raro só para ter essa experiência, e depois também ter o filme para dizer que ‘está tão orgulhoso; é a coisa mais legal do mundo.”

 

Famoso por interpretar Stiles em Teen Wolf na MTV’s, O’Brien diz que sua base de fãs existente ficou contente ao ouvir que ele conseguiu o papel principal em The Maze Runner.

 

Eu sinto que há fãs de Maze Runner que me conhecem de Teen Wolf, ou existem fãs de Teen Wolf que leram o livro, porque eles sabem que eu vou estar no filme. Eles são tão apaixonados como se tivessem sido fãs meus por quatro anos, mesmo se eles não têm“, explica O’Brien. “É muito legal, são todos, não importa o quê, insanamente entusiasmado e estão torcendo por isso

 

Mas receber o papel não era um processo simples para O’Brien, que foi esquecido durante as audições, por causa de seu corte de cabelo.

 
Quando fiz o primeiro teste foi como é agora e (Wes Ball) inicialmente passou minha fita sem pensar sobre isso, porque ele era como, ‘Oh sim, muito chamativo’.

 
Mas depois de ver uma foto do jovem estrela com um buzzcut, o diretor reconsiderou e não olhou para trás.

 

 

*buzzcut: um corte de cabelo em que todo o cabelo é cortado muito perto do couro cabeludo.

Tradução e adaptação: Equipe Dylan O’Brien Brasil

 

Publicado por Juliane Brizola em 12.09

O site americano BuzzFeed Entertainment fez uma matéria analisando o crescimento de Dylan O’Brien e sua trajetória: desde o seu canal no YouTube até a atuação em filmes de grande porte, como The Maze Runner. Confira a matéria completa:

O herói mais inesperado do ano

Como uma infância solitária, vídeos no YouTube e uma série de TV sobrenatural prepararam Dylan O’Brien para estrelar no grande filme de Setembro.

  Com 4.000 fãs olhando fixamente para um microfone no meio da Comic-Con de San Diego, uma jovem aproximou-se e limpou a garganta. “Ei! Eu amo você, Dylan O’Brien”, ela exclamou, já lutando contra as lagrimas. “Ah, você é tão fofa”, respondeu O’Brien, e com um único elogio, involuntariamente provocou um colapso emocional: os joelhos da menina se dobraram, todo o seu corpo tremia, e seu choro histérico não podia ser interrompido. “Você está bem?”, perguntou O’Brien, genuinamente preocupado, enquanto ela repetia: “Oh meu Deus. Oh meu Deus. Oh meu Deus”, através de uma máscara de lágrimas sem fim. Esses tipos de situações incontroláveis, reservadas apenas para as maiores estrelas do mundo, tornaram-se cada vez mais comuns na vida de O’Brien, porque, para os dois milhões de fãs que religiosamente seguem a série Teen Wolf toda semana, isso é exatamente o que ele é: um superstar. Desde o seu lançamento em junho de 2011, o drama sobrenatural da MTV tem crescido muito: fez com que O’Brien aparecesse na capa de todas as revistas para adolescentes e lhe rendeu quase dois milhões de seguidores no Twitter, bem como um fluxo interminável de contas no Tumblr dedicadas a ele. Em temporadas recentes, o seu desempenho como Stiles Stilinski, o melhor amigo do lobisomem protagonista de Tyler Posey, evoluiu para além do alívio cômico, revelando um ator muito mais complexo e capaz. Agora, O’Brien está apostando a sua popularidade na televisão e na internet em sucesso de bilheteria com o lançamento do filme de ação “The Maze Runner”, no dia 19 de Setembro*. O filme é uma adaptação de James Dashner, de 2009, que gira em torno de um misterioso labirinto e seus habitantes relutantes. 20th Century Fox, o estúdio por trás de The Maze Runner, está apostando alto em O’Brien. A pré-produção de uma sequência já iniciou-se no Novo México e O’Brien é, essencialmente, a peça central da campanha de marketing. A esperança é claramente mobilizar seus fãs para que eles saiam em massa na estreia do filme.

O’Brien recostou-se na cadeira no Cipriani, localizado dentro do hotel Beverly Hills Mr. C, um mês depois que a menina desmoronou ao vê-lo na Comic-Con, ele quase parecia inconsciente do quanto está sobre os seus ombros. “Eu nunca pensei sobre o tamanho do filme”, o jovem de 23 anos disse ao BuzzFeed News, com um encolher de ombros.

“Voltando a um ano atrás, a primeira pergunta que eu recebia de todos era ‘Assim que este filme explodir nas bilheterias, o que você vai fazer?’ Eu nunca me senti assim. Era um roteiro desfavorecido e um projeto despercebido, com muitos atores jovens – não temos ninguém no filme como Kate Winslet (Divergente) ou Donald Sutherland e Phillip Seymour Hoffman (Jogos Vorazes). Por isso, sempre foi sentido por nós como um projeto pequeno, mas sempre soube que poderia virar grandes coisas.”

O’Brien foi rápido em acrescentar que, ao descartar as expectativas da indústria, não se deve confundi-las com ignorância profissional. Na verdade, ele é incrivelmente exigente – quase a qualquer falha – do material ao qual ele expõe para a sua base de fãs jovens, particularmente na mídia social.

“Eu sou muito cuidadoso com as coisas que eu digo, tão consciente sobre os meus fãs e quem está me seguindo no Twitter, que eu sei que não posso tweetar sobre certas coisas, eu sei que não posso falar sobre certas coisas e eu sei que não posso dizer certas coisas”, disse ele. “Eu sinto que há poucas pessoas cujas personalidades brilham através do Twitter. O meu não poderia estar mais longe de quem eu sou. De vez em quando eu demonstro o meu senso de humor, mas é muito reservado porque a atenção sempre me fez reagir dessa forma. Isso não significa que eu não sou grato, é na verdade, porque eu realmente me importo em não deixar as pessoas para baixo”.

A necessidade de O’Brien para agradar foi amplificada pelo grande volume de fãs que ele acumulou apenas nos últimos anos. “Isso me deixa louco”, disse ele sobre nível louco de adoração que ele recebeu desde que conseguiu o papel de Stiles.

“De certa forma, eu nunca consigo entender completamente porque eu não sei se estou conectado o bastante. Mas o que me faz sentir bem sobre isso é que eu estou trazendo-lhes felicidade e que eu posso me relacionar com eles”. Ele explicou: “Eu amava tanto filmes quando criança, porque eu me mudei bastante e eu passei por um momento difícil na escola. A única coisa que me fazia olhar para a frente no final do dia era ir para casa para assistir meus programas de TV. TV e filmes que ativavam essa felicidade em mim. Então, eu entendo totalmente. Eu era aquela criança também. Às vezes, eu fico realmente tocado por isso, porque eu agora posso dar isso para as crianças, e isso é legal.”

“Eu era dolorosamente, dolorosamente tímido”, disse ele, sem um pingo de vergonha, sobre sua infância. “Houve quatro ou cinco anos em que eu não possuía amigos.” Faltando alguém de verdade para brincar, O’Brien abraçou o seu amor pela cultura pop e começou a criar curtas-metragens, a maioria dos quais ainda existem online até hoje. “Eu nunca sequer pensei em excluí-los”, disse ele com um sorriso dissimulado dos vídeos – um deles apresenta O’Brien dublando as Spice Girls – contrariando a reação instintiva que as celebridades tem sobre suas vidas online antes da fama. “Eu não os mantenho porque eles são bons. Obviamente, eu olho para aqueles vídeos e me encolho. Mas foram eles que começaram a minha carreira”. Enquanto O’Brien foi o único a criar para si mesmo, os vídeos começaram a ganhar força, tanto online como na indústria, tornando-se uma espécie de cartão de visitas para o então jovem de 18 anos de idade. “Lembro-me que tudo o que tinha na parte de trás de seu currículo eram dois links do YouTube“, Jeff Davis, produtor executivo de Teen Wolf, disse ao BuzzFeed sobre o primeiro teste de O’Brien para Stiles em 2010. “Ele era engraçado e tinha essa energia sob ele, esta elasticidade de seu corpo e seus movimentos. Ele realmente nos impressionou. Naquela noite, fui para casa e comecei a assistir seus vídeos no YouTube. Depois disso, ele era a única pessoa que eu podia ver atuando como Stiles” A narrativa sobre a carreira de O’Brien – que ele foi, essencialmente, arrancado da escuridão pela MTV – é uma daquelas em que o ator não pode palpitar. Na verdade, ele é grato pelo caminho extraordinariamente rápido para se tornar um ator trabalhador.

“Eu acho que foi a melhor maneira para que isso acontecesse para mim, porque eu estava cheio de dúvidas quando garoto”, disse O’Brien. “Eu nunca considerei essa carreira verdadeiramente possível em minha mente, o modo como começou realmente me ajudou porque me deu muita confiança de que isso é algo que eu estou destinado a fazer para o resto da minha vida”.

Para O’Brien, a série da MTV acabou sendo mais do que uma plataforma de lançamento profissional: também o matriculou em uma escola não-oficial de atores.

“As aulas são ótimas, mas eu nunca tive que fazê-las, porque eu tenho a sorte de estar trabalhando nos últimos três anos”, disse o ator, que não é formalmente treinado. “Acabei de sair da concentração e eu sinceramente não sei nem se eu poderia fazê-la de outra maneira. Eu penso que atuar deve ser tão real e humano quanto pode ser. Eu meio que sempre gostei de pensar de que primeiro eu sou um ser humano e depois, um ator”.

Este estilo de performance orgânica não só chamou a atenção dos fãs de Teen Wolf, mas também os diretores que ele fez o teste para papéis em filmes posteriores. “Dylan entrou e em 20 segundos de audição ele já era o favorito de todos que eu havia visto naquele ponto“, escreveu o escritor/diretor Jon Kasdan sobre o teste de O’Brien em 2012 para o filme “The First Time”. Enquanto cada espectador de Teen Wolf sabe do carisma que Kasdan se referencia, a pergunta persistente permanece:

Será que o talento de O’Brien será suficiente para transformar The Maze Runner em um sucesso instantâneo?

Enquanto o filme apresenta vários jovens atores, para Dylan, que interpreta Thomas, é muito mais um caminho para brilhar. “Eu precisava que Thomas viesse ao mundo como uma criança assustada e vulnerável, mas deixasse um homem“, disse o diretor Wes Ball sobre sua busca para escolher um ator que pudesse atuar Thomas de forma convincente, em ambas as extremidades desse espectro muito importante.

“Dylan é um garoto super doce que só quer trabalhar muito duro. Ele não tem medo de se expor ou parecer fraco. Ele tem confiança, o que não é fácil. Isso é o que faz dele o tipo de herói que eu amo: não um super-herói, uma pessoa normal fazendo coisas de super-herói”. Essa dualidade era facilmente perceptível para O’Brien e foi uma das muitas atrações do projeto para ele.

“A primeira coisa que notei foi que me senti realmente certo para o papel quando li o roteiro”, disse O’Brien, agitando o cabelo despenteado. “Gostei da forma como a história foi contada, eu pensei que era um conceito legal, e então eu conheci Wes, que me surpreendeu. Quando eu consegui o papel, eu percebi que tive muita sorte”.

Três características que Davis, Kasdan e Ball falaram sobre O’Brien:

Primeira: Seu entusiasmo sem fim. “Sua energia me impressiona tanto, que eu a invejo”, escreveu Kasdan. “É sem limites, jovial, exuberante, alegre e… invade aquele filme com tanta vida e energia”.

Segunda: Sua total falta de ego. “A coisa incomum sobre Dylan é que ele não é todo vaidoso ou narcisista”, acrescentou Kasdan. “Quero dizer, não por um todo. O que, para um ator, é bastante incomum. Ele é apenas um rapaz simpático e entusiasmado. Ele é rápido para rir e inclusivo de todos”.

Terceira: Seu firme compromisso com o trabalho. “Dylan é alguém que se importa profundamente sobre a arte de atuar”, disse Davis. “E, como é a maneira de artistas apaixonados, ele não se importa com a fama. É uma espécie de efeito colateral estranho para ele. Muitas pessoas vêm para Hollywood em busca de fama, e eles nunca encontrarão a qualidade em sua atuação. Depois, há outros que simplesmente experimentam a fama como um efeito colateral de seu talento. Esse é o Dylan, ele está focado no trabalho”.

Para Ball, a união da energia de O’Brien, a falta de ego, e dedicação inabalável foram as principais razões pelas quais as filmagens de “The Maze Runner” foram um sucesso tão grande. Sabendo que teria que mergulhar completamente no personagem, O’Brien se espelhou em Tom Hanks, Dustin Hoffman, Phillip Seymour Hoffman, e Matt Damon, atores que, para ele, são considerados inspirações profissionais e pessoais.

“Eu os vejo como heróis”, disse ele. “Eu era um garoto que os observava e eles interferiram completamente na forma como eu trabalho, porque eu não frequentei a escola de atuação”.

Essa apreciação se tornou uma verdadeira paixão, de acordo com seus antigos e atuais chefes, que não podem deixar de ver tons de Hollywood no trabalho e na personalidade de O’Brien.

“As pessoas sempre o comparam a grandes estrelas do cinema, como Harrison Ford ou Tom Hanks – e eu concordo”, disse Ball. Davis concordou: “Eu acho que ele é como Tom Hanks. Eu o vejo indo da comédia ao drama. Eu acho que ele pode estar mais interessado no drama agora, porque isso é algo que o desafia, e isso o assusta um pouco”. Kasdan levou esses sentimentos um passo adiante. “Um cara que é realmente engraçado e que se parece com aquilo? É o recurso mais valioso e escasso em Hollywood, porque a maioria dos filmes são sobre homens jovens e brancos. E há talvez uma dúzia de caras em todo o mercado que são as duas coisas. De qualquer idade. O melhor exemplo no momento é, obviamente, Chris Pratt, que é hilário e se parece com um homem de liderança, e você pode ver o que está acontecendo com ele. Dylan é um desses caras, por isso, o seu potencial é… praticamente ilimitado. O que seria mais surpreendente é se ele não acabar salvando o mundo de uma ameaça alienígena em algum momento nos próximos anos”. E, enquanto esses tipos de grandes oportunidades de orçamento provavelmente vêm batendo, O’Brien continua empenhado em cultivar um tipo muito particular de carreira.

“Eu sou alguém que está atraído por projetos que não são necessariamente voltadas para o sucesso”, disse ele, com uma risada. “Eu não gosto de realizar um projeto que todos os agentes estão tentando te fazer assinar. Eu gosto de fazer coisas que saiam do nada. Eu acho que isso é legal e especial e que eu quero fazer em termos de minha carreira”. Mas, no final, o garoto tímido que suportou anos sem amigos, pode vencer com sua aversão profunda à atenção – o tipo que particularmente vem liderando franquias enormes no cinema – poderia abastecer a sua escolha para estrelar em projetos menores e mais pessoais. “Sou muito privado e particularmente não gosto de ser o centro das atenções”, disse ele, ironicamente, enquanto uma multidão de publicitários nos cercavam, sinalizando o fim da entrevista. “Todo mundo que eu encontro me pergunta: “Você? Tímido? Pare de me zombar”. Mas eu acho que as pessoas podem trabalhar de forma que contradiz como eles são como uma pessoa. Este é o meu trabalho, é isso que eu faço, e eu sou muito grato. Eu amo fazer isso e me sinto bem. Eu ainda sou, por natureza, uma pessoa muito tímida”.

Tradução: Equipe Dylan O’Brien Brasil

Publicado por Arthur Aguilhar em 09.09